Total de visualizações de página

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Lara na creche!

  Hoje fui buscar a Lara, entrei de vagar. Deixei de proposito, de 10 as 16:00. com o coraçao partido, Mas com a certeza,que assim ela crescera e vai aprender sem a mamae.

Cheguei la e .... Vi a Lara no carrinho, onde ela  consegue se mover sozinha. Nao tinha nenhum adulto olhando ela.. fiquei louca!  Depois pensei, bom! talvez ela nao precisa tanto de atençao, pode ser mais independente do que eu acho. uau que legal e que medo!

A novidade e'... LARA TEM SEU PRIMEIRO ARRANHO NA CARA! assim ela ta aprendendo, e conhecendo a creche.

Mas o que mais gostei foi, quando cheguei , tinha 5 crianças no meio da Lara, Ela ja e' o centro das atencoes das crianças. E eu vi que elas estavam cuidando da Lara.Entao pensei! Lara tem 5 anjos em volta! ta muito bem.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

FOLTRA 2/2 Jesus Devesa y Pablo Devesa TVE1

Tratamento com Hormonios.... Para paralisia Cerebral.

Hormônios do Crescimento no Tratamento de Paralisia Cerebral e Lesão Medular.

Contra todas as previsões dos clínicos, um jovem espanhol recuperou a 100% de um acidente de automóvel. Foi o próprio pai, médico e investigador, quem decidiu aplicar-lhe um método pioneiro que utiliza hormonas de crescimento na regeneração de lesões. Os médicos portugueses dividem-se sobre este novo tratamento: para uns é uma esperança para doenças neurológicas; para outros levanta ainda muitas dúvidas éticas e de segurança.
Uma clínica espanhola, em Santiago de Compostela, promete resultados surpreendentes na cura de doenças cerebrais e de deficiências motoras, com a aplicação de hormonas de crescimento. Os benefícios destas substâncias produzidas naturalmente na hipófise (glândula situada na base do cérebro) são reconhecidos por exemplo para aumentar a altura em pessoas com problemas de crescimento. Mas, na regeneração dos neurónios, este programa é pioneiro.
Com este tratamento, o director do Centro de Reabilitação Foltra, Jesús Devesa, professor catedrático na Universidade de Santiago de Compostela, conseguiu recuperar o filho, que ficou com lesões cerebrais depois de um grave acidente de carro. Foi o seu primeiro doente. E Pablo, hoje com 29 anos, conseguiu voltar a andar, falar e comer. Depois dele, o tratamento foi usado noutros 300 doentes paraplégicos ou com deficiência mental congénita ou adquirida. “Injectamos hormonas de crescimento na área subcutânea do braço, que induzem a produção de células- -mãe e regeneram os tecidos danificados”, descreve Jesús Devesa ao DN, assegurando uma taxa de sucesso na casa dos 90%. Entretanto, a descoberta veio a público em Espanha e a técnica vai ser aplicada também num centro de paraplégicos de Toledo.
As hormonas de crescimento seriam uma solução para os 150 mil portugueses com deficiência motora ou os 75 mil que sofrem de lesões cerebrais? Ou ainda os 200 novos casos de crianças com paralisia cerebral que nascem por ano em Portugal? Os médicos dividem-se. Embora não conheçam bem o tratamento, uns acreditam que pode ser uma esperança nos casos de paraplegias. Para outros é uma “aplicação meramente experimental e episódica”, sem explicações científicas fundamentadas e com implicações no plano ético e da segurança.
Histórico.
Pablo Devesa tinha saído de casa para se encontrar com os amigos, quando um acidente de viação o lançou num coma profundo durante um mês. “Lembro–me estar a chover muito e de eu ter embatido numa casa”, conta o biólogo ao DN. Depois, ficou tudo escuro e imóvel.
O acidente atirou–o para uma cama nos cuidados intensivos, com um traumatismo cranioencefálico e uma hemiplegia – uma paralisia das funções de um lado do corpo. “O traumatismo comprometeu o lado esquerdo do meu cérebro. Quando acordei, os médicos não me davam muitas esperanças de recuperação. Não conseguia falar, comer ou andar”, lembra Pablo.
Já em casa, o pai, Jesús Devesa, não hesitou em aplicar no filho os ensinamentos que desenvolvera durante anos em laboratório. “Estava consciente do que fazia. Sabia que era eficaz e tinha de acreditar nisso”, sublinha o médico.
Durante os meses seguintes, Pablo recebeu diariamente uma dose de hormonas de crescimento (produzidas industrialmente a partir de engenharia genética), em ciclos de 15 dias. “O seu efeito chega às zonas onde está a lesão, levando à proliferação de células-mãe e restituindo os estímulos nervosos no local afectado”, diz Pablo. O tratamento era articulado com um plano intensivo de fisioterapia.
“Cada caso é um caso e a dose a aplicar depende da doença, da idade e do progresso do paciente”, indica Jesús Devesa, acrescentando: “Nas crianças, o processo de recuperação é mais rápido, pois a neuroplasticidade promove uma proliferação mais célere das células”.
Pablo tinha 22 anos, e a sua recuperação fez-se em oito meses. “Fiquei curado, sem sequelas. A recuperação foi a 100%. Hoje levo uma vida completamente normal, como qualquer jovem. Jogo futebol, bebo um copo com amigos.”
Tese a Comprovar.
Pablo está há um ano a trabalhar no Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra, como investigador, e a terminar a tese de doutoramento a defender dentro de semanas. A base da investigação? O seu próprio caso e as implicações das hormonas de crescimento no processo de neuroregeneração. “É um trabalho que segue as linhas de orientação da investigação do meu pai. Quero comprovar os resultados em humanos, sem efeitos secundários, no sentido de dar uma base científica mais aprofundada”, diz Pablo Devesa.
O tratamento não é consensual nos especialistas portugueses. José Luís Medina, director do Serviço de Endocrinologia do Hospital de São João, mostra-se optimista: “Cientificamente devemos esperar pelos resultados do estudo, mas é uma esperança.” “Devido às suas propriedades de crescimento e proliferação celular, talvez se possam obter alguns efeitos em situações como esta”, diz Manuela Carvalheiro, presidente da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo.
Já Fernando Baptista, do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, é mais céptico. “Será uma aplicação meramente experimental e pode ser geradora de falsas expectativas”, alerta. “Nos últimos anos têm sido demonstrados outros efeitos a nível metabólico, mas não é o caso dos efeitos eventualmente neuroregeneradores deste caso.”
O presidente da Sociedade Portuguesa de Neurociências, João Malva, coordenador da equipa onde trabalha Pablo Devesa, no centro de neurociências, mostra-se bastante crítico. “É um tratamento que tem implicações sérias no plano ético e da segurança, uma vez que a hormona do crescimento pode trazer problemas secundários muito significativos associados à proliferação descontrolada de células, como em tumores”, avisa o biólogo. “Acreditar na sua eficácia é uma questão de fé, porque do ponto de vista científico não há explicações fundamentadas. Mas a motivação dos pacientes pode fazer milagres”, conclui.
Arquivado em: Notícias.
Assuntos:  , .
MAQ às 15:39.
Post visitado 2916 vezes, 8 foram hoje.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

JA Operei o meu olhinho!



Bom ja operei  o meu olhinho... Foi na segunda feira dia 18 de outubro. cheguei no Hospital 7 da manha. Slotervaartziekhouse. O hospital fica em Amsterdam.   Cheguei bem animada. Nao sabia oque iria me acontecer. colocaram me o jaleco. AS 8 começaram minha operaçao. Papai foi comigo na sala. Mamae nao aguenta , chora a toa....
Colocaram me  o gas e depois me deram a anestesia geral. 10 e meia papai e mamae foram chamados em outra sala aonde eu estava dormindo. Veio entao o anestesista e me acordou (meio bruscamente). Acordei aos prantos e meu olhinhos jorrava sangue...... MAmae ficou apavorada. MAs falaram que era normal.

Ficamos la mais 1 hora em observaçao e entao fomos para o quarto. La eu nao queria comer e nem beber nada! Eu so podia sair do Hospital assim, comendo ou bebendo.  Entao comecei a vomitar.... algumas vezes. E saiu um pouquinho de sangue da boca e do nariz.. Mamae apertou o botao vermelho e la vem a enfermeira. Essa hora ela estava sozinha, pois o papai foi levar a tia Isabelle no aeroporto. Ela tava aqui em casa de passeio do Brasil.  Entao voltando ao ocorrido. A enfermeira muita calma falou que era assim mesmo , por causa da anestesia eu tava vomitando. o sangue do vomito era por causa que fui entubada, e o sangue do nariz , e'que esta interligado com o olho... Entao mamae ficou mais calma..

Me trouxeram um iogurte e as 4 eu resolvi comer... Fomos embora as 5 da tarde do hospital.

todo mundo cansado com o estresse fisico e mental.

     Mamae vai colocar fotos assim que ele estiver melhor... bjs




quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O grande passo... Larlinha começou a rastejar.... 1 metro.

video
video
video


  Hoje foi um dia de muita felicidade. LAra odeia tentar se mexer no chao. e por isso estou feliz com essa conquista. pois meu objetivo e', ela arrastar , engatinhar e andar... Assim acredito que andara com mais qualidade. Se passar por todas as etapas. Meu plano e'.. colocar as coisas que ela mais gosta longe. o lep top, o biscoito de chocolate e a chupeta. Deu certo... Ela chorou,chorou, chorou... Mas eu disse. desta vez nao vou ter pena, e vc pode. Tambem ja tinha visto ela rastejando na cama. por isso resolvi treinar agora no chao. um sucesso. Hoje ela tambem deu passinhos sozinha no BIBI. (carrinho de madeira que coloca se um peso para nao virar) andou da sala ate a cozinha  , sozinha. eu indo atras. e ganhou mais biscoitinhos...uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!   step by step, quer dizer .. rastejar by rastejar...


Depois de tantos exercicios, brincadeiras para retribuir o trabalho arduo da LARA.


video

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Vou operar o meu olhinho!!!!!!!!

   Estou aqui para dizer que vamos agora para mais uma etapa, Agora e'a vez de operar o meu estrabismo. Fui semana passada no oculista e marcaram minha operaçao para o dia 18 de outubro. Ainda nao sabem se consigo enxergar bem. Ja fizemos varios testes, Mas como sou muito pequenininha fica dificil. Fiz o CAT. acuidade visual no RJ e a 2 semanas fiz aqui em Amsterdam. no Instituto aonde faço minha reabilitaçao. e ligaram hoje dizendo que esta tudo bem. Mas que e'muito dificil de saber ao certo. Acredito que arrumando o meu estrabismo poderei enchergar melhor e assim melhorar tudo. tambem ja sei que sou linda vesguinha. Mas acho que vou ficar mais bonita depois.

Sobre o Theratogs, minha mamae ta tentando botar em mim. MAs ainda e'muito enrolado.

Ganhei orteses novas no centro de reabilitaçao. MAs nao ficaram muito bem e vamos ter que voltar para reajustar.


Voltei para minhas atividades essa semana. fisioterapia e creche.

Mamae tentou ver CME,em Londres mas ainda ta meio caro.

beijao a todos

sábado, 2 de outubro de 2010

metodo MEdek (CME)

 
 
 

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Método Cuevas Medek Exercises (CME)

Definição
O Método Cuevas Medek Exercises (CME) é uma abordagem fisioterapêutica utilizada para crianças que possuem alteração no desenvolvimento motor causado por síndrome não degenerativa que afeta o Sistema Nervoso Central.


Esta terapia pode ser aplicada a crianças a partir de 3 meses de vida até que elas atinjam o controle da marcha independente. Como os terapeutas que utilizam o Método CME precisam expor à criança a influência da força da gravidade, através do progressivo suporte distal, o uso desta terapia pode ser limitado pela altura e peso da criança.

O Método CME foi criado e desenvolvido por Ramón Cuevas, fisioterapeuta chileno, durante a década de 70, em Caracas, Venezuela.

O princípio fundamental do CME é baseado no fato de que crianças que possuem comprometimento no seu desenvolvimento precisam reforçar seu potencial de recuperação natural. Esta propriedade do Sistema Nervoso Central continua a propulsar o processo de desenvolvimento mesmo após a seqüela ter se instalado.

A reação natural do "potencial de recuperação" isoladamente, não pode tirar a criança da situação de desenvolvimento motor anormal. Por isso é crucial iniciar a terapia motora no momento da detecção dos primeiros sinais de atraso na função motora.

O nível final de independência motora alcançado pela criança irá depender dos seguintes fatores:



1- A detecção precoce da alteração no desenvolvimento motor.

2- A existência do potencial de recuperação cerebral.

3- A aplicação no momento correto de uma abordagem significante de terapia motora.

4- A execução constante de exercícios apropriados até se atingir o total controle motor.



Ramón Cuevas



Ramón Cuevas é fisioterapeuta e criador do Método de fisioterapia CME.

Ramón graduou-se em fisioterapia na Universidade do Chile em 1969. Em 1971, começou a desenvolver a abordagem CME e culminou com sua criação em 1976, apresentado em um artigo intitulado Método Dinamico de Estimulación Motriz (MEDEM) no 4th Congresso Internacional da Associação Americana de Deficiência Mental, na Washington University, Washington D.C.

Em 1973, Ramón Cuevas participou da criação do primeiro centro de Intervenção precoce em Caracas, Venezuela.

Ele tem mais de 35 anos de experiência no tratamento de crianças com disfunção neurológica e músculo-esquelética.

Ramón ensina estudantes e profissionais em todo o mundo e tem participado de conferências na América do Sul e Estados Unidos.

Em 2000, Ramón Cuevas estabeleceu o Programa de Educação Continuada de Cuevas Medek Exercises (CMECEP- sigla em inglês) com o objetivo de aumentar o nível de qualidade dos cursos de CME para profissionais que trabalham com reabilitação pediátrica.

Ramón Cuevas tem publicado numerosos artigos e tem participado de publicações de livros de pais com este assunto.

Ramón Cuevas vive e atende em seu centro em Santiago, Chile, viaja pelo mundo para ensinar CME pessoalmente, com o objetivo de dividir com os participantes a evolução mais recente da terapia CME.



Carta do autor

Somente terapeutas que possuem certificação registrada no Programa de Educação Continuada de Cuevas Medek Exercises (CMECEP) possuem permissão para aplicar CME.

Não existe nenhum curso aprovado de CME sem a participação de Ramón Cuevas.

MEDEK e CME são propriedades intelectuais registradas por Ramón Cuevas.



Características

Provocar o aparecimento de funções motoras automáticas ausentes.

Cooperação e motivação da criança não são requisitos na terapia CME.

Expor a criança à influência natural da força da gravidade com progressivo suporte distal.

Manobras de alongamento são integradas na terapia CME.

Tônus muscular aumentado em extremidades não são obstáculos para se estimular o controle postural em pé.

Um período de triagem é proposto para se demonstrar resultados a curto prazo da Terapia CME.



Avaliação

O Método CME possui um protocolo de avaliação próprio composto de 41 itens.

Na avaliação serão realizados testes para se verificar o estágio motor da criança, sendo avaliado desde controle cervical até marcha independente.

No IMPDor, a avaliação dura em média 90 minutos e é composta pelo protocolo de avaliação CME, além da entrevista com o responsável e avaliação geral da criança. A avaliação é de fundamental importância para que se possam traçar os objetivos terapêuticos. Conhecer a rotina da família, a rotina da criança, as preferências da criança, além dos aspectos motores nos possibilita tratar a criança de forma global. Na avaliação os responsáveis deverão trazer todos os exames relevantes, assim como os relatórios hospitalares e terapêuticos e deverão vestir a criança com roupas confortáveis.



Exercícios

O CME possui mais de 600 tipos de exercícios. Cada exercício representa um desafio biomecânico particular para a criança. Cada exercício de fisioterapia demanda uma resposta ativa da criança e a escolha do exercício sempre estará diretamente relacionada com o potencial de reação dela. A porção de "arte" da terapia CME depende da habilidade do terapeuta CME em escolher e aplicar uma boa seqüência de exercícios durante a sessão de fisioterapia, com o objetivo de "provocar" novas reações espontâneas posturais funcionais.

A porção "científica" da terapia CME reside no emergir de novas respostas do cérebro imaturo.

A terapia CME propõe um período de prova de 8 semanas de tratamento diário para se provar que este programa de terapia pode ajudar a criança a progredir. O objetivo principal deste período de 8 semanas é alcançar pelo menos 3 dos objetivos propostos na avaliação.

Utilizando estes 3 objetivos como critério, os pais terão um método concreto de avaliar a efetividade da abordagem terapêutica utilizada com seus filhos.



Equipamentos

Este conjunto de caixas especiais é utilizado para aplicar a terapia CME assim que a criança tenha condições de se manter de pé apoiada pela coxa. As caixas possibilitam ao terapeuta e aos pais todas as possibilidades biomecânicas funcionais para estimular todo o espectro das reações de estabilidade em bípede e as respostas de equilíbrio.

O equipamento é composto por:

Três caixas com as mesmas medidas, uma caixa alta, uma prancha quadrada, um cubo e uma barra.

Sabendo como tirar vantagem do material CME, a criança poderá ser estimulada dinamicamente para se aprimorar a sua estabilidade em bípede, equilíbrio e controle da marcha. Este conjunto permite ao terapeuta realizar exercícios de forma segura e ergonômica, pois a sua execução acontece dentro do alcance do terapeuta.

Esta mesa com medidas especiais é útil e necessária para realizar o tratamento de crianças desde os exercícios de controle cervical até o momento em que elas sejam capazes de se manter firmemente em bípede auxiliadas pelos tornozelos.



Contra-indicação

Existem algumas contra-indicações para se receber a terapia CME:

Doenças degenerativas.

Osteogênese Imperfeita.

Epilepsia não controlada.

Bebês menores de 3 meses, exceto para terapeutas CME II e CME III.

Qualquer terapeuta que não possua formação em CME assinada por Ramón Cuevas.

Seguir informações passadas por profissionais não graduados em CME.



Perguntas freqüentes

1. O que é CME?

É uma abordagem utilizada em fisioterapia pediátrica baseada em exercícios dinâmicos desafiadores, que são aplicados manualmente em crianças que possuem comprometimento no seu desenvolvimento motor. Esta abordagem propõe objetivos concretos a fim de se estimular bebês e crianças de maneira segura, começando aos 3 meses de vida até muitos anos após nascimento.



2. Quem criou o Método CME?

O conceito da terapia CME foi criado pelo fisioterapeuta Ramón Cuevas.



3. O que significa CME?

É a sigla composta pelas iniciais da frase em espanhol:

Metodo Dinámico de Estimulación Kinesica (MEDEK). Em português significa “Método Dinâmico de Estimulação Cinética”.



4. Quais as características básicas do CME?

CME provoca o cérebro da criança para produzir respostas posturais automáticas e controle motor funcional.

CME expõe os segmentos corporais à influência da força da gravidade.

CME promove o uso do apoio distal máximo no corpo da criança.

CME desafia o sistema neuromuscular da criança com o objetivo de forçar o aparecimento de funções motoras ausentes.

CME integra exercícios de amplitude de movimento em manobras funcionais globais.

Quadros de hipertonia, espasticidade ou hipotonia NÃO limitam o uso da terapia CME.

Durante uma sessão CME, a irritabilidade emocional da criança é uma reação totalmente aceitável e não é visto como fator negativo para os objetivos da terapia.

O comprometimento intelectual da criança não é limitação ao programa de exercícios.



5. Que tipos de problemas motores podem ser tratados com CME?

Qualquer grau de atraso no desenvolvimento motor causado por:

Paralisia Cerebral.

Hipotonia.

Atraso motor causado por quadro não-degenerativo.



6. Que tipo de avaliação é utilizado em CME?

O protocolo de avaliação foi desenvolvido em 1972 por Ramón Cuevas como um importante componente do conceito original de CME. Durante um período de 4 anos, esta avaliação passou uma experimentação minuciosa como parte curricular do projeto de pesquisa ARYET (auto risco e estimulação precoce). Este projeto foi coordenado por Neumann foundation e Clinic University Hospital em Caracas, Venezuela de 1977 a 1980.

A avaliação CME contem 41 itens desde controle cervical até atividades básicas de marcha e equilíbrio.



7. O que significa período de prova?

Após uma avaliação inicial, alguns objetivos específicos de progressos motores posturais funcionais são estipulados para serem obtidos no “período de prova” do tratamento de 8 semanas. Os pais são encorajados a participar ativamente para o sucesso dos objetivos.



8. Quanto deve ser o envolvimento dos pais no Programa Domiciliar?

O tempo de terapia varia de 30 a 45 minutos. Em bebês pode chegar a 20 minutos de terapia no início do tratamento. A situação ideal seria repetir a sessão duas vezes ao dia com um intervalo de 4 horas ou mais entre cada sessão. De acordo com os recursos da família, a participação dos pais pode reduzir em escala proporcional a intervenção do terapeuta.



9. O que faz CME ser uma escolha útil e efetiva para o tratamento de crianças com atraso?

A terapia CME pode direcionar o potencial de recuperação da criança à melhora funcional máxima, pois em cada exercício, a criança experimenta novas sensações através de posturas e movimentos que ela não pode fazer sozinha e nem através de exercícios de terapias convencionais.



10. Como funciona o programa intensivo ?

Avaliação do desenvolvimento, para se determinar o nível motor da criança.

Aplicação do programa de exercícios por um período intensivo de no minimo 1 semana e máximo de 4. Este programa é aplicado em 2 sessões de 45 minutos por dia para as primeiras 10 sessões. Após este período de estimulação intensiva, a partir do 6º dia os pais serão cuidadosamente treinados para o programa domiciliar. O final do programa será a filmagem para ilustrar com todos os detalhes cada exercício recomendado

Já é certo e definitivo que existe em Portugal alternativa a CUBA!

Já é certo e definitivo que existe em Portugal alternativa a CUBA!

Caros concidadãos, cá estou eu de novo, após umas férias……e tenho uma novidade excelente para vós !
Tenho notícias de pacientes que estiveram comigo em Cuba, e que prosseguiram os tratamentos na Associação de Beneficiência Popular de Gouveia ( http://www.abpg.pt/medicina_reabilitacao.htm). Estão satisfeitíssimos com as terapias aí praticadas, com o zelo e profissionalismo existentes e também com o preço praticado. A terapia intensiva (6 horas e meia por dia) nesta Clínica de Gouveia custa 14o euros por dia, e no final do mês o custo representa menos de 1/3 do que se gasta em Cuba, com a vantagem adicional de não termos que  gastar viagens aéreas nem estar sujeitos a privações em termos alimentares. Os equipamentos desta Clínica em Gouveia são moderníssimos e existe um acompanhamento médico diário tanto do ponto de vista neurológico como de fisiatria. Segundo os pacientes, que já estiveram em Cuba mais do que uma vez, estão verdadeiramente encantados com o nível se serviços prestados. ENFIM, EXISTE JÁ UMA ALTERNATIVA DE EXCELÊNCIA EM PORTUGAL E COM PROVAS DADAS!!!!!
Nota: Para quem tem ADSE, estes tratamentos são ainda comparticipáveis ! (tal como os tratamento em Cuba, embora o nível de comparticipação aqui seja bem menor, cerca de 25%)
Fiquem bem, e as maiore

Equoterapia.

Equoterapia - Método devolve movimentos ao praticante

domingo, 26 de setembro de 2010
fonte: ajudas.com




Um método de fisioterapia ainda desconhecido por muitos - mas louvado pelos que precisam - está devolvendo para ela a fala e os passos. Esse método é a equoterapia.

A equoterapia é um método terapêutico de reabilitação física, reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina desde 1997. Atende vários tipos de patologias e sequelas neurológicas como o traumatismo craniano, paralisia cerebral e síndromes.

Segundo o fisioterapeuta, Francisco Henrique Pereira da Silva, o cavalo realiza um movimento tridimensional que produz um dinamismo entre o cavalo e o praticante, fazendo com que o mesmo receba estímulos que favorecem a sua recuperação. "Ou seja, o cavalo funciona como aparelho que reproduz os movimentos normais do ser humano", sintetiza. Francisco afirma que o caso de Isabela (uma das praticantes e que tem paralisia cerebral com comprometimentos severos, deste método) é uma grande conquista que precisa ser mostrada para a sociedade, pessoas e familiares que sofrem com algum tipo de impossibilidade neurológica ou física.

O pai de Isabela, Amilton Sebastião da Silva, conta que no dia 13 de Dezembro de 2009, a moto em que a sua filha estava caiu e uma ferragem perfurou-lhe o cérebro, atingindo a massa encefálica. Ela ficou 26 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O acidente impossibilitou Ana de falar, andar, afectando toda a sua coordenação.

A medicina não tinha previsão de saída para ela, e na visão do médico, Ana ficaria em estado neurovegetativo. Porém, assim que saiu da UTI, a fisioterapeuta indicou o método da equoterapia e prontamente os pais levaram-na a praticar. "No dia seguinte já vimos uma diferença nela, um movimento a mais na mão, uma mudança na fala, isso porque ela faz apenas meia hora por semana", conta o pai.

Amilton diz que Isabela já voltou a andar, falar e melhorou a coordenação nesses 10 meses em que está a praticar. O fisioterapeuta acrescenta que a recuperação já é de 80%.
Na equoterapia, Ana diverte-se muito. O simples caminhar do cavalo com intermediação de Francisco faz grandes avanços na sua vida. "Para quem conhece a equoterapia e precisa dela, percebe que é essencial", completa o pai.

Francisco Henrique já trabalha pela Associação de Pais e Mestres dos Excepcionais (Apae) há seis anos, e há um ano a prefeitura cobre dez horas semanais da terapia. Entretanto, em função da demanda (ele atende 16 pessoas e já conta com 25 em uma fila de espera), Francisco afirma que em breve Umuarama contará com a Associação de Equoterapia Renascer, para atender associações e entidades. A Associação funcionará na Sociedade Rural, que numa parceria cedeu o espaço.
Francisco é fisioterapeuta especializado em reabilitação neurológica infantil e adulta há sete anos, com formação em equoterapia pela Universidade do Cavalo (UC), em São Paulo. A UC é o primeiro centro da América Latina especializado na formação, desenvolvimento e informação para a equinocultura.

O método

De acordo com a Associação Nacional de Equoterapia (Ande-Brasil), esse é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, procurando o desenvolvimento bio-psicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais.

A equoterapia emprega o cavalo como agente promotor de ganhos físicos, psicológicos e educacionais.
Esta actividade exige a participação do corpo inteiro, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da força, tónus muscular, flexibilidade, relaxamento, consciencialização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio.
A interacção com o cavalo, incluindo os primeiros contactos, o ato de montar e o manuseio final, desenvolve novas formas de socialização, autoconfiança e auto-estima.

A prática da equoterapia objectiva benefícios físicos, psíquicos, educacionais e sociais de pessoas com deficiências físicas ou mentais e/ou com necessidades especiais, e está indicada para os seguintes quadros clínicos: Doenças genéticas, neurológicas, ortopédicas, musculares e clínico metabólicas; Sequelas de traumas e cirurgias; Doenças mentais, distúrbios psicológicos e comportamentais; Distúrbios de aprendizagem e linguagem e outros.

Esta notícia já foi consultada 28 vezes





Brasil: II Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência

quinta-feira, 21 de outubro de 2010
fonte: ajudas.com


A marca do Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência, que este ano chega à sua Segunda Edição, é a organização, coordenação e realização de actividades voltadas para a difusão de tecnologias assistivas para a melhoria da qualidade de vida da população.

Assim, o II Encontro tem por objectivos: incentivar a inovação tecnológica no desenvolvimento de pesquisas, fabricação e comercialização de produtos e serviços voltados para o aumento da autonomia, funcionalidade e qualidade de vida das pessoas com deficiência, permanente ou temporária; além de fornecer subsídios para a elaboração de políticas públicas e estratégias voltadas à garantia de igualdade de oportunidades, ao combate à discriminação e ao empoderamento das pessoas com deficiência, numa perspectiva de promoção dos seus direitos fundamentais.

Como na edição anterior, o evento contará com a presença de profissionais de renome das áreas de: Tecnologia Assistiva, de instituições, universidades, centros e laboratórios de investigação, bem como de empresas nacionais e internacionais, e representantes do poder público, para juntos discutir os avanços da tecnologia e inovação.


(continua ...)
Esta notícia já foi consultada 29 vezes




    página 2 de 429    |    ver página   | 2 |  |  |  |  |  | ...  última   |           página seguinte >

Luz Pulsada,para recuperaçao de musculos paralisados.

Aplicação da “luz pulsada” pode ajudar na recuperação de movimentos musculares

terça-feira, 28 de setembro de 2010
fonte: ajudas.com


Investigadores da Universidade de Stanford, Estados Unidos, estão a testar a aplicação da “luz pulsada” na recuperação de movimentos musculares.

Assentes no objectivo de restaurar as actividades dos músculos em pessoas com paralisia cerebral ou de membros, e de acordo com a revista New Scientist, as primeiras experiências, realizadas em ratos, mostraram-se bem sucedidas.

As primeiras experiências foram realizadas em músculos de patas de ratos. Após anestesia, foi realizada a simulação óptica no nervo ciático e medidos os resultados, observando-se os movimentos do tendão de Aquiles.

A simulação de actividades musculares através de impulsos eléctricos permite aos pacientes com paralisia caminhar. No entanto, os sinais eléctricos activam as fibras nervosas das contracções musculares rápidas antes das lentas, acção oposta à que ocorre naturalmente, factor que faz com que as pessoas tenham movimentos robóticos, o que também as cansa mais rapidamente.

Em contrapartida, a utilização da “luz pulsada” possibilita a reprodução dos movimentos naturais dos nervos dos ratos. Assim, os cientistas esperam que a mesma técnica funcione também em humanos.
Esta notícia já foi consultada 26 vezes




    página 1 de 429    |    ver página  1 |  |  |  |  |  |  | ...  última   |           página seguinte >

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Temos agora em Sao Paulo. therapies4 kids... Eba! falta no RJ.


Inaugurada em São Paulo, a 1a. unidade brasileira da clínica norte americana Therapies 4 kids. Um inovador tratamento em reabilitação para crianças deficientes em decorrência de causas neurológicas:
  • paralisia cerebral
  • atraso no desenvolvimento neuropsicomotor
  • ataxia
  • atetose
  • autismo
  • traumatismo crânio encefálico
  • síndrome de down
  • síndromes genéticas
  • distrofia muscular
  • miopatias
  • distrofia miotônica
  • mielomeningocele
  • osteogênese imperfeita
  • mal formação congênita
  • artrite reumatóide
  • escafocefalia
  • escoliose
  • anemia falciforme
A aquisição motora na criança está intimamente ligada a aspectos de sua aprendizagem diária. Tal aprendizagem é influenciada pela crescente confiança e prazer nas brincadeiras que envolvem comprometimento físico. Isto ocorre a medida que a criança adquire capacidade de controlar o próprio corpo graduando força, adquirindo equilíbrio e mobilidade. Crianças portadoras de patologias neurológicas não se desenvolvem linearmente, neste sentido as aquisições motoras estão diretamente ligadas a formação da sua imagem, auto estima e confiança.
A Therapies 4 kids já atendeu mais de 800 pacientes em todo o mundo, tendo utilizado o protocolo a seguir especificado nos últimos 6 anos. Esse programa visa atingir o potencial de cada paciente e resulta em ganho de qualidade de vida, desenvolvimento motor e  independência no incentivo de atividades funcionais.
A proposta de reabilitação através da fisioterapia intensiva, visa realizar trabalho neuromuscular propioceptivo a fim de previnir e reduzir encurtamentos, ganho muscular, alinhamento postural, aumento no equlíbrio, mobilidade articular, coordenação e força. Nossa proposta visa aprimorar o alinhamento postural e inibir padrões associados as lesões cerebrais e doenças neuro musculares tais como:
  • espacidade
  • hipotonia
  • hipertonia
  • atetóide
  • cifose
  • assimetria de tono muscular
  • escoliose
Utilizamos para isso, as seguintes ferramentas:

Alongamento

Ao início de cada sessão, o paciente é alongado por 45 minutos antes de colocar o pediasuit. Esse programa de alongamento é fotografado, descrito e entregue aos pais para que eles possam dar continuidade com seu filho em casa.




Pediasuit

Órtese corporal fabricada em tecido respirável 100% algodão. Leve, resistente, flexível, proprioceptiva e dinâmica. É composto por touca, macacão, joelheira, tenis e tracionadores emborrachados, que retificam a postura e oferecem a resistência ideal a ser vencida. Conjuntos disponível nos tamanhos x-small, small, medium, large, x-large.



Spider

Gaiola onde são desenvolvidos exercícios de fortalecimento muscular, que podem ser trabalhados:
  • Sobre maca, onde o paciente deitado realiza exercícios para fortalecimento de membros superiores e inferiores, puxando peso através de roldanas
  • Exercícios em suspensão visando equilíbrio, coordenação motora e propiocepção
  • Mini trampolim. Após o paciente ser estabilizado na gaiola, desenvolvemos exercícios agregando esse equipamento de forma lúdica para ganho de força e equilíbrio
  • Esteira. Com peso e postura suportados pela gaiola, o fisioterapeuta fica livre para treinar com seu paciente marcha na esteira elétrica.




Equipamentos Convencionais

Com o paciente vestido com o pediasuit, também realizamos trabalhos regulares através dos seguintes equipamentos:
Bola Bobath, Rolo, Feijão, Espaldar, Barra Paralela, Escada com Rampa, Andador, Tumble Form



Intervalo

Ao final da segunda hora de treinamento, o paciente tem um intervalo de 15 minutos para se alimentar ou descansar.





Bicicleta Adaptada

Em parceria com fabricante Canadense, que possui tecnologia de ponta em bicicletas adaptadas, desenvolvemos trabalho de ganho muscular, flexibilidade, retificação postural, e claro, muita diversão!!




Wii Therapie

Wii Fit pode ser agregado a terapia intensiva de maneira lúdica e eficaz. O game assimila peso e altura do paciente, transformando-o em um personagem virtual. Há infinitas possibilidades visando equilíbrio estático e dinâmico através de diversos jogos.

Cool Down

Na última hora do programa, ocorre a desaceleração das atividades de maior impacto. Para agregar ao paciente aquisição motora fina, oferecemos os seguintes materiais:
Massinha de modelar, lousa, quebra cabeça com imã, brinquedos educativos, espuma, guaxe.


O método é ministrado durante 4 semanas, 4 horas por dia, 5 dias na semana.

Avaliação

Após avaliação prévia será determinado junto aos responsáveis um plano de tratamento visando as maiores necessidades do pacientes e aquisições possíveis. São necessárias algumas fotos do paciente em diferentes etapas do crescimento e relatório dos profissionais que acompanham a reabilitação. Para o início do tratamento é necessário:
  • Indicação médica de fisioterapia motora
  • Raio X do Quadril. Pacientes com subluxação de quadril maior que 35% usarão o pediasuit com menor pressão, ou usarão Theratogs
  • Relatório de alta, caso já tenha realizado fisioterapia intensiva anteriormente

Responsáveis Técnicos

Dr Justin Thomas – Fisiologista – Esqueleto e Musculatura
Ft Braz Paiva – Fisioterapeuta – Motricidade e Movimento
Ft Luana Pedrozo – Mestrado em Fisioterapia – Desenvolvimento e Qualidade
Ft Christine Fullerton – Doutorado em Fisioterapia – Pesquisa e Artigos
Prof. Eric Chessen – Educador Fisico – Pesquisas e Artigos
Dra Rosalba Santoro – Psicóloga, Doutorado em Comportamento Humano – Artigos e Uso do pediasuit em crianças autistas

“ THERAPIES 4 KIDS, TRANSFORMANDO POTENCIAL EM REALIDADE ”

Contato SP:
Francine Prado
francine@therapies4kids.com This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it
11-2369-3222
11-7336-8307
A Therapies 4 kids - São Paulo, é a 1a. unidade brasileira da clínica norte americana que aplica um inovador tratamento em reabilitação para crianças deficientes em decorrência de causas neurológicas:
  • paralisia cerebral
  • ataxia
  • atetose
  • autismo
  • traumatismo crânio encefálico
  • síndrome de down
  • síndrome de west
  • distrofia muscular*
  • miopatias*
  • distrofia miotônica
  • mielomeningocele
  • osteogênese imperfeita
  • peito carinado
  • peito escavado
  • plagiocefalia
  • artrite reumatóide
  • escafocefalia
  • escoliose
  • anemia falciforme
A aquisição motora na criança está intimamente ligada a aspectos de sua aprendizagem diária. Tal aprendizagem é influenciada pela crescente confiança e prazer nas brincadeiras que envolvem comprometimento físico. Isto ocorre a medida que a criança adquire capacidade de controlar o próprio corpo graduando força, adquirindo equilíbrio e mobilidade. Crianças portadoras de patologias neurológicas não se desenvolvem linearmente, neste sentido as aquisições motoras estão diretamente ligadas a formação da sua imagem, auto estima e confiança.
A Therapies 4 kids já atendeu mais de 800 pacientes em todo o mundo, tendo utilizado o protocolo a seguir especificado nos últimos 6 anos. Esse programa visa atingir o potencial de cada paciente e resulta em ganho de qualidade de vida, desenvolvimento motor e independência no incentivo de atividades funcionais.
A proposta de reabilitação através da fisioterapia intensiva, visa trabalho neuromuscular propioceptivo a fim de previnir e reduzir encurtamento, ganho muscular, alinhamento postural, aumento no equlíbrio, mobilidade articular, coordenação e força. Nossa proposta visa aprimorar o alinhamento postural e inibir padrões associados as lesões cerebrais e doenças neuro musculares tais como:
  • espacidade
  • hipotonia
  • hipertonia
  • atetóide
  • cifose
  • assimetria de tono muscular
  • escoliose
  • hiperextensão
Utilizamos para isso, as seguintes ferramentas:
Alongamento
Ao início de cada sessão, o paciente é alongado por 45 minutos antes de colocar o pediasuit. Esse programa de alongamento é fotografado, descrito e entregue aos pais para que ele possa dar continuidade com seu filho em casa.
Pediasuit
Órtese corporal fabricada em tecido respirável 100% algodão. Leve, resistente e flexível. É composto por touca, macacão, joelheira, tenis e tracionadores emborrachados, que retificam a postura e oferecem a resistência ideal a ser vencida. Conjuntos disponível nos tamanhos x-small, small, medium, large, x-large.
Spider
Gaiola onde são desenvolvidos exercícios de fortalecimento muscular, que podem ser trabalhados:
  • Sobre maca, onde o paciente deitado realiza exercícios para fortalecimento de membros superiores e inferiores, puxando peso através de roldanas
  • Exercícios em suspensão visando equilíbrio, coordenação motora e propiocepção
  • Mini trampolim. Após o paciente ser estabilizado na gaiola, desenvolvemos
exercícios agregando esse equipamento de forma lúdica para ganho de força e equilíbrio
  • Esteira. Com peso e postura suportados pela gaiola, o fisioterapeuta fica livre para treinar com seu paciente marcha na esteira elétrica.
Equipamentos Convencionais
Com o paciente vestido com o pediasuit, também realizamos trabalhos regulares através dos seguintes equipamentos:
Bola Bobath, Rolo, Feijão, Espaldar, Barra Paralela, Escada com Rampa. Andador, Tumble Form
Intervalo
Ao final da segunda hora de treinamento, o paciente tem um intervalo de 15 minutos para se alimentar ou descansar.
Bicicleta Adaptada
Em parceria com fabricante Canadense, que possui tecnologia de ponta em bicicletas adaptadas, desenvolvemos trabalho de ganho muscular, flexibilidade, retificação postural, e claro, muita diversão!!
Wii Therapie
Wii Fit pode ser agregado a terapia intensiva de maneira lúdica e eficaz. O game assimila peso e altura do paciente, transformando-o em um personagem virtual. Há infinitas possibilidades visando equilíbrio estático e dinâmico através de diversos jogos.
Cool Down
Na última hora do programa, ocorre a desaceleração das atividades de maior impacto. Para agregar ao paciente aquisição motora fina, oferecemos os seguintes materiais:
Massinha de modelar, lousa, quebra cabeça com imã, brinquedos educativos, espuma, guaxe.
O método é ministrado durante 4 semanas, 4 horas por dia, 5 dias na semana.
Avaliação
Após avaliação prévia será determinado junto aos responsáveis um plano de tratamento visando as maiores necessidades do pacientes e aquisições possíveis. São necessárias algumas fotos do paciente em diferentes etapas do crescimento e relatório dos profissionais que acompanham a reabilitação. Para o início do tratamento é necessário:
  • Indicação médica de fisioterapia motora
  • Raio X do Quadril. Pacientes com subluxação de quadril maior que 35% usarão o pediasuit com menor pressão, ou usarão Theratogs
  • Relatório de alta, caso já tenha realizado fisioterapia intensiva anteriormente
Responsáveis Técnicos
Dr Justin Thomas – Fisiologista – Esqueleto e Musculatura
Ft Braz Paiva – Fisioterapeuta – Motricidade e Movimento
Ft Luana Pedrozo – Mestrado em Fisioterapia – Desenvolvimento e Qualidade
Ft Christine Fullerton – Doutorado em Fisioterapia – Pesquisa e Artigos
Prof. Eric Chessen – Educador Fisico – Pesquisas e Artigos
Dra Rosalba Santoro – Psicóloga, Doutorado em Comportamento Humano – Artigos e Uso do pediasuit em crianças autistas
“ THERAPIES 4 KIDS, TRANSFORMANDO POTENCIAL EM REALIDADE ”

 

Novo Centro de Reabilitaçao em Portugal, com o modelo do Ciren.

CIREN E ISAVE UNIDOS NA REABILITAÇÃO NEUROLÓGICA

Pela primeira vez em Portugal, o ISAVE, através da Fundação Padre António Vieira, assina protocolo que permite o desenvolvimento do modelo de reabilitação neurológica desenvolvido em Cuba pelo CIREN, no ISAVE.

O CIREN, Centro Internacional de Reabilitação Neurológica, a instituição médico-científica cubana mais reconhecida internacionalmente na área da reabilitação neurológica, assinou um protocolo com o ISAVE, através da Fundação Padre António Vieira, que permite o estudo, a avaliação e transferência de tecnologia para o ISAVE do programa CIREN de reabilitação neurológica, bem como a supervisão de todo o trabalho de reabilitação por profissionais do CIREN, de Cuba.
Ao ISAVE, “como escola de saúde, cabe o papel de criar as condições para avaliação dos doentes, tanto a nível técnico como humano para que a reabilitação seja realizada nos mesmos moldes que acontecem em Cuba e onde se conseguem os mais altos índices de reabilitação. O ISAVE disponibilizará recursos qualificadas para o desenvolvimento do referido programa, sendo a formação desses quadros acompanhada por profissionais do CIREN”.
Neste sentido, nasce em Portugal, e pela primeira vez, com abertura prevista para este ano, no ISAVE, um centro de reabilitação neurológica com os mesmos padrões de qualidade do CIREN. Os mais de 300 pacientes portugueses que todos os anos se deslocam a Cuba, para aí serem tratados, têm agora em Portugal um centro com as mesmas competências, com a mesma formação, com os mesmos meios de diagnóstico e terapêutica. Teremos assim, em Portugal, um centro capaz de dar respostas efectivas a todo o tipo de problemas neurológicos com a utilização do Protocolo Terapêutico realizado em Cuba, o que vai permitir reduções de custos significativos, abrindo-se a um maior número de pessoas a possibilidade de agora poderem realizar esses tratamentos.
O CIREN criou e desenvolveu ao longo dos tempos tecnologia para o tratamento neuro-reabilitativo, multifactorial, intensivo e personalizado, baseado no princípio da neuro-plasticidade para atingir a recuperação estrutural e funcional do sistema nervoso atingido. No CIREN aplicam-se os métodos mais avançados cirúrgicos; criam-se as mais modernas formas de tratamento mundial em doenças como a de Parkinson e Alzheimer.
O CIREN tem uma estrutura de investigação científica contínua em modernas instalações e com os meios mais avançados, com pessoas altamente qualificadas, sempre com o rigor do controlo pelo sistema de qualidade ISO9000.
É este saber, esta prática, que é transferida para Portugal através do ISAVE, criando uma filosofia de “saúde de proximidade” para um público que nunca teria a possibilidade de se deslocar a Cuba para ter estes tratamentos.
O ISAVE, como escola de saúde, quer ter um papel determinante na formação dos seus alunos e na humanização dos cuidados de saúde em Portugal, sem perder de vista a excelência e os modelos de instituições de referência como o CIREN.


http://www.isave.pt/index.php?op=1&id=677&t=1

POR TI Q.: Faaris takes his first steps 0001

POR TI Q.: Faaris takes his first steps 0001: "Na XCell"